Simple Education

Escola bilíngue vs escola internacional: Quais as principais diferenças?

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Na atualidade a aquisição de um segundo idioma deixou de ser um diferencial competitivo para se tornar uma necessidade. Portanto, cada vez mais, os pais têm procurado por uma escola bilíngue que ofereça um ensino aprofundado dessa segunda língua, em geral o inglês.

Essa é uma maneira de fazer os seus filhos ficarem preparados para o mercado de trabalho futuramente e serem capazes de conquistar boas oportunidades. Entretanto, durante essa busca muitas pessoas esbarram em uma série de dúvidas.

A principal está ligada à diferenciação entre alguns tipos de ensino com foco em línguas estrangeiras, como a escola bilíngue e a escola internacional. A distinção entre esses dois modelos gera questionamentos quanto ao conteúdo que será ensinado e quanto aos métodos usados para tal.

Essa dúvida acontece uma vez que aprender um novo idioma vai além de dominar a sua gramática. Assim, é importante também conhecer a cultura do país de origem, o que assegura que uma determinada pessoa será capaz de se expressar adequadamente nos mais variados contextos sociais.

Dessa forma, o objetivo deste artigo é esclarecer as principais diferenças entre uma escola bilíngue e uma escola internacional, possibilitando que os pais sejam capazes de tomar uma decisão consciente a respeito do formato de ensino que mais se adequa às suas expectativas.

O que é uma escola bilíngue?

Em linhas gerais, uma escola bilíngue conta com a presença de dois idiomas, o português e o inglês. Eles se fazem presentes na comunicação diária entre discentes e docentes e também são utilizados para o ensino das disciplinas.

Escola bilíngue

Logo, a segunda língua não está restrita ao horário das aulas dedicadas a ela e é aplicada a várias áreas do conhecimento, como a matemática e as ciências. Portanto, para que uma escola seja chamada de bilíngue apenas aumentar carga horária dedicada ao ensino do inglês não é suficiente: é necessário inserir a língua em outros contextos.

Além dos pontos citados, uma dúvida bastante comum a respeito dessas escolas está ligada ao currículo seguido. Assim, vale esclarecer que as instituições bilíngues presentes no Brasil atuam de acordo com a Base Nacional Comum Curricular em todas as disciplinas oferecidas. O diferencial, portanto, é o fato de que o ensino é feito em língua estrangeira.

Além disso, as escolas bilíngues também não se afastam das demais em termos de calendário. Dessa forma, as aulas se iniciam no início de fevereiro e seguem até dezembro, contando com férias duas vezes ao ano.

Apesar desse ponto de convergência, existem alguns aspectos relativos ao calendário que merecem ser ressaltados. De encontro a isso é possível destacar que várias escolas bilíngues adotam períodos integrais ou semi-integrais, de forma que as disciplinas possam ser oferecidas nos dois idiomas sem que um deles seja privilegiado em relação ao outro.

Devido a todos os pontos destacados, é possível afirmar que uma escola que segue esse método de ensino proporciona aos seus alunos uma vivência mais intensa com a língua estrangeira.

Portanto, o domínio do inglês não acontece somente no âmbito da gramática, mas passa a ser funcional e parte do cotidiano dos alunos, o que torna a experiência bastante leve e o aprendizado uma consequência natural do processo educacional.

O que é uma escola internacional?

Uma escola internacional conta com uma imersão maior na cultura do país de origem. Logo, os seus vínculos com ele tendem a ser mais profundos. Isso se manifesta, principalmente, através do currículo seguido por essas instituições, que conta com adições estrangeiras.

Nesse sentido, vale ressaltar que caso uma escolha internacional seja, por exemplo, britânica, o seu currículo seguirá os parâmetros da Inglaterra. Esses pontos são previamente concebidos pelo International Baccalaureate, um programa que possui vínculos com a Unesco e já está presente em mais de 150 países ao redor do mundo.

Além disso, as escolas internacionais também se diferenciam das bilíngues na questão do calendário e dos horários. De acordo com isso, é possível citar que elas seguem as datas presentes no Hemisfério Norte e, portanto, o ano letivo se inicia do mês de agosto e se estende até junho do ano seguinte.

Saiba Como Funciona O Sistema De Ensino Bilíngue

Sobre o horário, vale informar que ele está condicionado ao país de origem da escola internacional e seguirá os parâmetros adotados nessa região. Logo, também é estendido, mas dependerá desses detalhes. Assim, caso o país de origem trabalhe com o horário integral, o da escola internacional também será.

Também vale citar que um diferencial desse modelo de escola é o fato de que cerca de 50% dos professores presentes nessas instituições são expatriados. Dessa forma, eles chegaram a lecionar em outros países do mundo, o que proporciona um maior contato com a língua estrangeira.

Além do exposto, outro ponto que gera bastante dúvidas aos pais de alunos quando se fala sobre escolas internacionais está ligado questão da certificação obtida e a sua validade no Brasil. Portanto, vale pontuar que o certificado é válido no Brasil e o estudante poderá, por exemplo, prestar vestibular após se formar.

Entretanto, o foco maior recai na questão do ingresso em faculdades estrangeiras, já que o certificado de escolas regidas pelo International Baccalaureate possuem certificações internacionais. Portanto, esse é um diferencial pra quem não tem planos de continuar estudando no Brasil e não prejudica aqueles que pretendem permanecer no país.

Acompanhe mais:

Procura uma solução bilíngue para a sua escola?

Nós somos referência em programas bilíngues e soluções de inglês para escola.

Simple Education Blog

Baixe Agora!